Escova de dente é fabricada com material reciclado

Johnson & Johnson desenvolve produto com menor impacto ambiental e inaugura operação especial para reciclagem de plásticos.

Os consumidores brasileiros contam, desde setembro de 2009, com a opção de utilizar uma escova de dente que possui parte de seu cabo feita com material reciclado pré-consumo, o que reduz a quantidade de matéria-prima extraída, e consequentemente, seu impacto ambiental. Enquanto as escovas convencionais têm o cabo feito com 100% de polipropileno virgem, o da Reach® Eco, da Johnson& Johnson, é produzido com 40% de polipropileno e polietileno reciclados pré-consumo, a partir de sobras de materiais plásticos de sua produção.

"A Johnson & Johnson do Brasil foi a primeira unidade da companhia a lançar esta escova que é resultado de um projeto do time de pesquisa e desenvolvimento. Desde 2010, a Reach® Eco também pode ser encontrada em países da América Latina como Argentina, Colômbia e Chile", conta Fernanda Folgosi, gerente de marketing Reach®. Segundo a empresa, apenas em seu primeiro ano de fabricação, a Reach® Eco poupou 42 toneladas de petróleo, quantidade utilizada, por exemplo, na produção de cerca 500 pneus de carga. A escova de dente mantém o padrão de qualidade exigido pela Johnson & Johnson que investiu em tecnologia e criou novos procedimentos operacionais para sua produção.

Fábrica para reciclagem de resíduos

Para multiplicar bons exemplos como o da Reach® Eco, a Johnson & Johnson inaugurou, em maio deste ano, uma operação especial para reciclagem de plásticos em São José dos Campos. O objetivo é reutilizar o material em seus processos fabris, reduzindo custos e diminuindo o impacto ambiental de suas atividades. A nova operação tem capacidade de transformar em grânulos (pellets) 130 toneladas mensais de aparas plásticas, originárias das linhas de produção de fraldas e absorventes.

A expectativa é que, até o fim de 2011, a operação processe 500 toneladas de resíduos. O excedente de grânulos de plástico, que possuem valor agregado no mercado de reciclados em relação às aparas, será direcionado a parceiros de negócios, desde fabricantes de embalagens até multinacionais produtoras de material escolar.

Outros benefícios esperados com a nova fábrica são a retirada de caminhões das estradas, diminuindo o consumo de combustível e a emissão de CO2, e a redução do uso de petróleo para a fabricação de resina virgem.

Para saber mais: www.jnjbrasil.com.br

Compartilhe: